Desempenho econômico-financeiro

Crescimento da receita bruta e dos investimentos sinaliza compromisso do Grupo com a expansão responsável dos negócios

Em 2014, o Grupo registrou aumento de 11,3% na receita líquida, com Ebitda consolidado 21% superior – o que sinaliza o foco no aumento da produtividade, da eficiência e da consistência dos resultados. O lucro líquido também cresceu 18,6%.

Receita bruta e líquida

A receita líquida consolidada atingiu R$ 2,9 bilhões, crescimento de 11,3% em comparação com 2013. A receita bruta consolidada atingiu R$ 3,18 bilhões, crescimento de 11% em relação a 2013, ocasionado pelo aumento do tráfego (20,1%) nas rodovias concessionárias e pelo início das operações da ECO101.

Receita líquida (em milhões de R$)

2014

2013

Var.

Concessões rodoviárias

1.782,2

1.595,0

11,7%

Receita de construção

713,6

505,8

41,1%

Ecoporto Santos

452,7

550,5

-17,8%

Serviços

178,6

116,9

52,8%

Eliminações

(190,1)

(129,1)

47,3%

Receita líquida

2.937,0

2.639,1

11,3%

Custos operacionais e receitas administrativas

Em 2014, os custos operacionais e as despesas administrativas do Grupo somaram R$ 2.079,6 milhões, contra R$ 1.711,7 milhões em 2013 – um crescimento de 21,5%. Excluídos os custos de construção de obras e provisão para manutenção, e consolidando proporcionalmente os custos de Elog e STP (IFRS 10), a cifra cai para R$ 1.514,9 milhões – valor que está 6% maior, em comparação a 2013.

Entre os fatores relevantes de influência estão:

  • despesas 19,3% superiores com o custo de pessoal, em razão de adequações salariais e de pessoal e novas contratações para as obras na ECO101;
  • aumento de 30,6% em relação a 2013 sobre depreciação e amortização, por conta de obras realizadas na Ecovias dos Imigrantes, na Ecopistas e na ECO101;
  • custos de construção de obras 41,1% superiores em comparação ao período passado, relacionados às obras nas concessões.

Ebitda

O Ebitda foi de RS 1.446,8 milhões em 2014, aumento de 21% em relação ao ano passado, influenciado pelo aumento do Ebitda no setor de concessões rodoviárias, pelo início da cobrança de pedágio da ECO101 e pela venda de participação da STP.

A margem Ebitda, por sua vez, alcançou 49,3%, com crescimento de quatro pontos percentuais em relação a 2013.

EBITDA (em milhões de R$)¹

2014

2013

Variação

Lucro líquido (antes da participação de minoritários)

474,3

399,5

18,7%

Depreciação e amortização

309,0

236,7

30,5%

Resultado financeiro

392,5

325,5

20,6%

Imposto de renda e contribuição social

242,6

234,7

3,4%

Equivalência patrimonial

28,4

(0,8)

N.M

Ebitda¹

1.446,8

1.195,6

21,0%

Receita líquida¹

2.937,0

2.639,1

11,3%

Margem Ebitda¹

49,3%

45,3%

4,0 p.p.

1Inclui receita e custo de construção e provisão para manutenção e desconsidera a Elog e a STP (conforme normas do IFRS).

Resultado financeiro líquido

Alcançou R$ 392,5 milhões negativos em 2014, 20,6% superior a 2013. A variação deve-se basicamente a captações e altas dos juros e da inflação, ocorridas ao longo de 2014

Lucro líquido

Em 2014, o Grupo EcoRodovias apresentou lucro líquido após a participação de minoritários de R$ 471,9 milhões, 18,6% superior aos R$ 397,9 milhões de 2013

Caixa e endividamento consolidado

O Grupo EcoRodovias encerrou o exercício de 2014 com saldo de caixa disponível e aplicações financeiras em títulos e valores mobiliários de R$ 660,7 milhões, abaixo dos R$ 1.152,6 milhões de 2013. Essa redução se relaciona ao incremento de pagamentos de dividendos e juros sobre capital próprio, juros sobre a dívida e execução do Capex em 2014, aspectos parcialmente compensados pela venda de participação da STP.

A dívida bruta atingiu R$ 4.185, 8 milhões em dezembro de 2014, sendo 23% no curto prazo e 77% no longo prazo, representando um aumento de 13,1% quando comparado ao ano anterior.

R$ 650 milhões
é o Capex estimado para o ano de 2015

2,4x
Indicador de dívida líquida financeira/Ebitda apurado em 2014 (em 2013: 2,1x)

 

Investimentos (Capex)

O Capex consolidado pela EcoRodovias em 2014 totalizou R$ 1 bilhão, acima dos R$ 758,2 milhões do ano anterior.

Os principais investimentos foram feitos na área de concessões rodoviárias,* com serviços de pavimentação e conservação e aquisição de hardware e equipamentos de pedágio para a ECO101, além das obras relacionadas ao aditivo contratual na Ecovias dos Imigrantes e às marginais da Rodovia Ayrton Senna (Ecopistas).

*Conforme os critérios de contabilização estabelecidos pelas normas contábeis (IFRS/ICPC) para as concessões de rodovias, os investimentos são contabilizados como custo de construção (ativo intangível) ou custo de manutenção (provisão para manutenção).

CAPEX PRÓ-FORMA
(em milhões de R$)

2014

 

INTANGÍVEL/
IMOBILIZADO

CUSTO DE
MANUTENÇÃO

TOTAL

Concessões rodoviárias

811,6

78,6

890,2

Ecovias dos Imigrantes

330,6

31,1

361,2

Ecopistas

131,2

131,2

Ecovia Caminho do Mar

47,8

6,9

54,7

Ecocataratas

18,4

39,8

58,2

Ecosul – Rodovias do Sul (100%)

47,2

0,8

48,0

ECO101 (100%)

236,4

236,4

Ecoporto Santos

97,7

97,7

Outros¹

22,5

22,5

CAPEX

931,8

78,6

1.010,4

1Consulta Serviços e Holding.

Dividendos

Ao longo de 2014, a Companhia efetuou o pagamento de dividendos no valor de R$ 798,5 milhões, sendo R$ 586,1 milhões referentes à reversão de reserva de lucros relacionados a exercícios anteriores e R$ 212,4 milhões relativos aos resultados intermediários de 2014. O Grupo tem como política a distribuição de, no mínimo, 50% do lucro líquido.

Mercado de capitais

Em 2014, as ações da EcoRodovias negociadas sob a sigla ECOR 3 apresentaram volume financeiro diário médio de R$ 20,1 milhões e volume médio diário de negócios de 5,2 mil . As ações da EcoRodovias compõem o Ibovespa – índice composto de empresas com ações mais negociadas e de maior valor no País.

Essa posição revela a importância da EcoRodovias no mercado de ações brasileiro. Pela quarta vez consecutiva, as ações da Companhia também figuram na carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa, refletindo os esforços em prol da responsabilidade na execução da estratégia de negócios.