Fazendo as contas

Ferramenta que calcula geração de resíduos
é uma das inovações dentre os esforços
para gerenciar o tema na Natura

Geração de resíduos
(g/unidade produzida)

Uma calculadora de impacto ambiental é uma das aliadas da equipe de inovação da Natura durante o processo de desenvolvimento de um novo produto. Utilizada desde 2010 para mensurar as emissões de gases de efeito estufa, a ferramenta evoluiu para fornecer informações importantes também da geração de resíduos.

Ao inserir informações sobre materiais a serem utilizados, é possível comparar o impacto de diferentes tecnologias e matérias-primas, por exemplo, contribuindo para a tomada de decisões durante o processo de elaboração dos produtos.

“A gestão de resíduos sólidos é um tema complexo para todas as indústrias. Nosso desafio futuro é, literalmente, fechar o ciclo de vida de nossos produtos, garantindo que os resíduos retornem à nossa cadeia ou outra de igual ou maior valor agregado”, explica Gabriela Fleury, gerente de Sustentabilidade.

A base para a construção da estratégia foi a metodologia de inventário de geração de resíduos, desenvolvida pela Natura para quantificar o volume de resíduos gerado em três das principais fases da sua cadeia: os processos fabris (internos e terceiros); a distribuição dos produtos; e o uso e descarte dos produtos pelos consumidores. Com dados de três anos consecutivos já contabilizados, é possível, por exemplo, identificar o tipo de resíduo que é gerado em maior quantidade em cada etapa da cadeia de valor e qual a sua destinação.

A estratégia conta com iniciativas que vão ao encontro das diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Além das iniciativas próprias, a Natura apoia as ações promovidas pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) que também visam favorecer o cumprimento da política.

As etapas de produção e seus impactos na geração de resíduos

Fornecimento de matéria-prima

Gerados pelos fornecedores e não contemplados no inventário da Natura por conta da complexidade do modelo e da premissa de responsabilidade compartilhada prevista na Política Nacional de Resíduos Sólidos.

É importante ressaltar que a gestão de resíduos nos fornecedores é um dos itens acompanhados pelo programa de desenvolvimento da cadeia de suprimentos – o Qlicar (Qualidade, Logística, Inovação, Competitividade, Ambiental, Social e Relacionamento) –, e a quantidade de resíduos gerada e sua destinação são gerenciadas pelos próprios fornecedores.

Geração própria

Resíduos dos processos e unidades Natura.

Cerca de 93% desse volume é reciclado e reinserido no ciclo produtivo da Natura ou em outros.

Transporte e distribuição

Os resíduos são gerados, principalmente, pelas caixas que acomodam os pedidos das consultoras e consultores e pela revista Natura.

Uso pelo consumidor

Elo final da cadeia, e maior desafio para a indústria e que concentra o maior percentual de geração de resíduos.

Inclui o uso dos produtos e descarte de embalagens e produtos pós-consumo pelo consumidor.

A Natura está elaborando um plano de logística reversa, que tem como principal objetivo estruturar um modelo de gestão capaz de transformar resíduos em oportunidades de novos negócios. Este plano tem previsão de lançamento ainda no ano de 2014.